ortografia

Já aprendeu a nova ortografia?

Uma coisa é certa: a nova ortografia embaralhou a cabeça dos alunos. Ainda hoje, muitas pessoas se confundem e acabam misturando a “nova” e a “velha” ortografia. A partir deste ano o uso da nova ortografia tornou-se obrigatório. Era para ter entrando em vigor em 2013, mas foi adiado e, portanto já está valendo desde o dia 1° de janeiro.

Os especialistas em educação dizem que esse novo acordo ortográfico serve para facilitar a comunicação entre os países que falam a língua portuguesa, como o Brasil, Portugal, Guiné Bissal, entre outros. Ortografia, quer dizer “grafia correta”. Então, para que todos entendam as nossas palavras, elas devem ser escritas corretamente.

Quais as mudanças?

As mudanças da ortografia envolvem o alfabeto, a questão da acentuação, do hífen, do trema, entre outras. O alfabeto, por exemplo, que antes possuía só 23 letras, agora conta também com o K, W, e Y somando 26 letras. O uso do trema foi extinto das palavras, e só permanece em nomes próprios. Ou seja, linguiça, sagui, e outras palavras, agora não possuem mais o trema.

Outra mudança foi na acentuação. Em palavras terminadas em “êem” e “ôo” ou “ôos” em que as vogais a e o dobram, o acento circunflexo já não é mais utilizado. Por isso, as palavras creem, voo, leem e enjoo, agora são escritas sem o acento.

Palavras paroxítonas com ditongo aberto “éi” ou “ói”, o acento também caiu. É o caso das palavras ideia, colmeia, joia, entre outras. Também perdem o acento palavras como “feiura” e “baiuca” que tinham acento no “u” tônico e vieram depois de ditongos nas paroxítonas.

O acento diferencial, por exemplo, foi outra mudança da ortografia. Ele servia para diferenciar as palavras que tinham a mesma grafia, porém os significados eram outros. É o caso de para, pelo,polo e pera, que agora não devem mais ter o acento.

O hífen continua sendo empregado nas palavras que começam com h ou com vogal igual à última do prefixo. Auto-hipnose, anti-herói, micro-ondas, auto-observação e mini-hotel devem possuir o hífen.

Mas como fazer para frisar essas mudanças?

O que todos devem entender, é que não existe uma lógica para a escrita correta das palavras. Se basear no som das palavras para acentuá-las, por exemplo, pode não ajudar. Tentar fazer exercícios em casa ou mesmo na escola e depois corrigi-los, pode ser uma boa alternativa para quem ainda não conseguiu aprender as novas regras da ortografia.

A nova ortografia já está sendo usada em concursos?

Em concursos e vestibulares, a nova ortografia é obrigatória sim. Antes, o aluno podia estudar as duas formas e aplicar uma das duas nas provas, por exemplo. Mas agora só vale o novo acordo ortográfico.

Aplicativo permite que as pessoas consultem as novas regras da ortografia

Disponível para smartphones e tablets, o aplicativo gratuito “Volp” (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), foi lançado em 2014 pela Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele permite que as pessoas consultem mais de 400 mil palavras que já estão nas regras da nova ortografia. Quem desejar utilizar o aplicativo, pode baixá-lo em dispositivos Android, pelo Google Play, e também em dispositivos da Apple, pela App Store.

Assim que a pessoa digitar uma palavra incorreta, que não esteja de acordo com as novas regras da ortografia, o aplicativo não consegue encontrar essa palavra. Portanto, se a palavra for digitava corretamente, dentro das novas regras, ela irá aparecer na tela do dispositivo.

Com o apoio da tecnologia, as pessoas que tiverem alguma dúvida que envolva a questão do novo acordo ortográfico, conseguem consultar as palavras a qualquer hora e ver como é a escrita correta.

Artigos

fonte: http://blog.sponte.com.br/ja-aprendeu-nova-ortografia/

Posted in Notícias Externas.