Children exercising in fitness class

Ano Letivo da Rede Municipal de Itajaí inicia no dia 15 de fevereiro

O ano letivo de 2016 da Rede Municipal de Ensino de Itajaí inicia no dia 15 de fevereiro (segunda-feira), após a semana de Carnaval. Aproximadamente 29 mil alunos serão atendidos em 64 Centros de Educação Infantil (CEI), 41 Escolas de Ensino Fundamental, 7 Centros de Educação em Tempo Integral (CEDIN) e 6 unidades que recebem a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Já os diretores e secretários das Unidades de Ensino retornam dia 01 de fevereiro, enquanto os professores voltam às atividades no dia 10. No dia 03, acontecerá uma reunião com todos os diretores na Secretaria de Educação.

Confira o calendário de fevereiro da Rede Municipal de Ensino de Itajaí:

01 – Retorno dos Diretores e Secretários das Unidades de Ensino

01 a 05 – Planejamento das Unidades de Ensino

03 – Reunião de Diretores das Unidades de Ensino na Secretaria de Educação

05 – Encerramento do Plantão de Férias

Feriados: 08 e 09 Carnaval

10 a 12 – Acolhida dos Profissionais – Formação Continuada/ Reunião Pedagógica, Planejamento e organização das salas

15 – Início das Aulas

No início de fevereiro também acontece a entrega dos kits de uniforme e material escolar nas Unidades de Ensino do município.

 

fonte: http://www.clickcamboriu.com.br/geral/educacao/2016/01/ano-letivo-da-rede-municipal-inicia-no-dia-15-de-fevereiro-136003.html

 

firearm-409252_1920

Florianópolis é a única capital do Sul fora do ranking das 50 cidades mais violentas do mundo

O Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, do México, divulgou nesta semana o ranking das 50 cidades mais violentas do mundo em 2015. O levantamento leva em conta o número de homicídios por 100 mil habitantes.

O Brasil é o país com o maior número de municípios na lista. Das 50 cidades com maior taxa de homicídios no mundo no ano passado, 21 são brasileiras.

Fortaleza, que aparece na 12ª colocação na lista, é a cidade mais violenta do país. A capital cearense teve uma média de 60,77 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. No mundo, a mais violenta é Caracas, na Venezuela.

Região Sul

A capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, aparece na 43ª posição, com 34,73 homicídios por 100 mil habitantes. Já Curitiba, capital do Paraná, aparece na 44ª colocação, com 34.71.

De acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, que apresenta números de 2014, Florianópolis tem uma média de 16,9 assassinatos por grupo de 100 mil pessoas. Número que a coloca como a segunda capital com a menor taxa de homicídios do país, atrás apenas de São Paulo.

Mapa da violência 

O levantamento feito pela entidade mexicana inclui apenas cidades com 300 mil habitantes ou mais.

Foram excluídos do levantamento países que vivem “conflitos bélicos abertos”, como Síria e Iraque.

fonte: http://www.deolhonailha.com.br/florianopolis/noticias/florianopolis-e-a-unica-capital-da-regiao-sul-fora-do-ranking-das-50-cidades-mais-violentas.html

Veja a lista completa das 50 cidades mais violentas do mundo no site acima. 

mathematics-1044079_1920

Dicas para estimular o interesse por matemática

Quem trabalha com educação sabe que o Brasil não anda lá muito bem nos índices de aprendizado em matemática. De modo geral, e por vários motivos, boa parte dos estudantes já ingressam na vida escolar achando que a disciplina é um bicho de sete cabeças, criando um desafio extra para os professores.

Resolver esse cenário é algo que depende de vários fatores, que vão além dos muros da escola, principalmente quando falamos de educação pública. Algumas ferramentas, porém, podem ajudar a estimular os alunos a enxergarem essa fantástica ciência com outros olhos.

Aplicações

A matemática está por toda parte, e saber disso pode estimular os alunos a se interessar pelo assunto. O professor pode abusar de exemplos cotidianos para ilustrar os conteúdos, mas se o trabalho for em conjunto com a família, a tarefa será ainda mais eficaz. Pais e familiares também podem mostrar a matemática do cotidiano fora da escola.

Tecnologia

Utilize vídeos e outros recursos que apresentem a matemática de forma lúdica. Celulares, tablets e computadores também podem ajudar. Hoje em dia existem vários aplicativos que estimulam o interesse para a matemática em públicos de várias idades.

Trabalho

Várias carreiras profissionais usam a matemática como ferramenta, e até mesmo dependem dela para existir. É importante apresentar isso para os estudantes, quem sabe até mesmo mostrando a aplicação da matemática em distintas carreiras.

fonte: http://blog.sponte.com.br/dicas-para-estimular-o-interesse-por-matematica/

desk-600482_1920

A importância da experiência para as crianças.

A vida dos pequenos é construída por experiências e é por meio delas que a aprendizagem acontece. Então, como proporcionar boas experiências para eles dentro da escola? Tudo é mais simples do que parece. As situações rotineiras são ricas para as crianças, e explorar o dia a dia é uma boa solução para expor a criança à experiências – sensoriais, emocionais e sociais.

Os educadores devem ser cuidadosos ao incentivar os alunos a ir além daquilo que dão conta de fazer. As crianças de uma mesma classe são diferentes e vivem experiências com sensações diversas. Então, na mesma sala pode existir uma criança mais aventureira e outra mais tímida. Portanto, estimule o conhecimento e a aprendizagem de forma diferente, que cada uma se adapte.

Veja nossas dicas:

1 – Atenção nas situações diárias

Valorize as situações corriqueiras. Dê espaço para que a criança torne isso uma fonte de descoberta e prazer, driblando a correria e atribulação da rotina. Não queira a perfeição para as crianças, a naturalidade do dia a dia são experiências maravilhosas para eles.

2 – Desperte a curiosidade

Escolha momentos para participar ativamente da ampliação da compreensão de mundo das crianças. Ao observar a chuva, por exemplo, faça com que os alunos realizem perguntas: “Gotinhas caindo do céu, de onde será que elas vem?” Faça com que os alunos se arrisquem para ir além, faça comparações e responda as perguntas que eles fizerem.

3 – Relembre os aprendizados do dia.

Converse com os alunos sobre o dia que tiveram, o que aprenderam e o que descobriram. Isso estimula as crianças a construírem o “contar”. Ao contar e recontar um acontecimento, há a construção da memoria baseada em fatos, situações e datas.

4 – Fortaleça a confiança.

As expressões e o comportamento dos educadores falam mais alto do que sua voz. Por isso, se houver algum momento de exaltação, explique para a criança o que está acontecendo.

Dicas básicas para um dia a dia escolar mais dinâmico e produtivo para as crianças da educação infantil. Professores e alunos em harmonia. Lembrando que essas dicas também servem para mães e pais de crianças pequenas.

 

fonte: http://blog.sponte.com.br/a-importancia-da-experiencia-para-as-criancas/

1453498_730793190282361_821220180_n

Dicas para melhorar o planejamento de aulas!

O planejamento de aula é uma prática imprescindível para o melhor aproveitamento do conteúdo repassado. É através dele que o professor organizará o andamento de seu curso, seus objetivos e as formas de avaliação.

Um plano de aula bem elaborado também é uma ótima forma de administrar o tempo em classe e manter os alunos alinhados com as metas da disciplina, melhorando, portanto, a troca de conhecimentos. A seguir, algumas dicas para ajudar a organizar um plano de aulas.

Percepção da turma

Por mais que você planeje com detalhes o andamento da aula, cada turma pode recebê-la de maneiras diferentes. É preciso sentir a turma para perceber qual será o ritmo, a didática e o andamento. Ou seja, os alunos poderão indicar novas possibilidades para a aula, e isso ajudará nos planejamentos futuros.

Ligação

Estimular o interesse dos alunos é um dos desafios do trabalho diário do professor, e uma das formas para alcançar isso é relacionar o conteúdo com o cotidiano dos estudantes. Procure saber pelo que a turma se interessa, e busque incluir isso no planejamento de aula, permitindo ainda que os estudantes percebam a relação do que está sendo ensinado com o seu dia a dia.

Metodologia

As artes e a tecnologia podem ser grandes aliadas do professor na sala de aula. O uso de diferentes metodologias tornam as aulas mais dinâmicas e consequentemente mais atrativas. Inserir essas alternativas nem sempre é viável, mas elas são eficazes mesmo que eventualmente.

Objetivos

Para elaborar um plano de aulas, o professor precisa saber qual o objetivo que se pretende alcançar e o que os alunos serão capazes de fazer ao final do conteúdo. Pensar em objetivos é uma boa forma de avaliar o desempenho da aula. Compartilhar as expectativas com os alunos também é uma boa opção.

 

fonte: http://blog.sponte.com.br/dicas-para-melhorar-o-planejamento-de-aulas/

DSC_0081-600x398

Como será a escola do futuro?

Com certeza será bem diferente de como a conhecemos hoje, em praticamente todos os aspectos. E esse futuro nem está tão longe assim. Modelos e métodos alternativos de educação já são aplicados por várias instituições de ensino no Brasil, sobretudo da rede privada.

Segundo especialistas, de modo geral, a escola do futuro será mais interativa, participativa, colaborativa, altamente tecnológica e muito influenciada por redes e mídias sociais. Esses conceitos, inclusive, poderão influenciar até o espaço onde o conhecimento é disseminado.

A distribuição de carteiras enfileiradas já é considerada obsoleta por muita gente, e pode ser que até a sala de aula perca suas paredes. Uma pesquisa realizada em 2012 pela New Media Consortium, coletivo de estudiosos da educação e tecnologia, mostrou que os alunos já esperam poder estudar quando e onde quiserem.

Em Copenhague, na Dinamarca, cerca de metade das atividades da escola municipal Orestad Gymnasium são realizadas em espaços de convivência. De acordo com matéria da revista Exame, os alunos são estimulados a resolver em grupo desafios propostos pelos professores.

Algumas instituições estimulam a colaboração aliada ao empreendedorismo, com foco em resultados, semelhante ao funcionamento de uma empresa. Várias universidades americanas adotaram metodologias desse gênero.

Outra tendência é a digitalização. Aos poucos o papel está sendo substituído pelas telas, e o conteúdo, além de mais interativo, será móvel, podendo ser acessado de qualquer lugar via internet, tanto por alunos quanto por professores.

 

fonte: http://blog.sponte.com.br/como-sera-a-escola-do-futuro/DSC_0081-600x398